Loading...
História e Integrantes 2018-09-10T22:42:52+00:00

Dez mãos e um piano preparado.

Um trabalho único no mundo. Música brasileira, dança, teatro e artes visuais.

Nossa História

O trabalho do PianOrquestra é fruto de uma longa pesquisa acadêmica, com base nas técnicas de piano preparado e piano expandido popularizadas por John Cage no início do século. Aplicadas de maneira lúdica e criativa, resultam em um trabalho pioneiro na música popular brasileira. 
O grupo vem impactando platéias e conquistando uma grande atenção da mídia devido a sua qualidade e originalidade desde sua estréia em agosto de 2003. Com o lançamento do DVD em 2007, o grupo conquistou um retorno de mídia muito fora do comum para o segmento da música instrumental de qualidade. Foi capa dos segundos cadernos dos principais jornais das cidades por onde passou.

O grupo se destaca pela originalidade e qualidade com um trabalho que envolve quatro pianistas, uma percussionista e um piano preparado. Considerado um dos “10 melhores concertos do ano” pelo Jornal O Globo; em 2016, recebeu a maior pontuação das 3 Américas para participar do showcase Classical Next, na Holanda; vem realizando temporadas com casa esgotada nas principais capitais do Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Brasília, Belo Horizonte).

Com luvas, baquetas, palhetas de violão, fios de náilon, sandálias de borracha, peças de metal, madeira, tecido e plástico, o PianOrquestra explora as infinitas possibilidades de timbres e sonoridades produzidos pelo piano, transformando o instrumento em sua própria orquestra.

O PianOrquestra tem direção musical do consagrado pianista Claudio Dauelsberg, que se apresenta ao lado das pianistas Marina Spoladore, Priscila Azevedo e Veronica Fernandes, e da percussionista MAKO. O grupo explora de forma inédita os elementos étnicos das raízes brasileiras, em interpretações virtuosas, sem abrir mão da sensibilidade, delicadeza e lirismo, num repertório que contém samba, ciranda, repente, maracatu, entre outros ritmos brasileiros mesclados com influências mundiais contemporâneas.

Participou de programas de TV como Fantástico, Altas Horas, Faustão, Programa do Jô, Partituras, Terra Brasilis (MusicBox Brasil), Start (GNT), Instrumental Sesc TV,  Jornal O Globo, Canal Curta, entre outros. Premiado pelo Rumos do Itaú Cultural e pela Telemar em 2005, o grupo é presença constante em importantes palcos e festivais de música por todo o Brasil. O grupo já tem dois DVDs lançados com grande sucesso e reconhecimento do público e da mídia, lotando teatros por todo o Brasil.

Desde 2003, as 10 mãos e 1 piano se apresentaram em importantes palcos internacionais como:

  •    Festival Internacional de Piano La Roque D’ Anthéron, França;
  •    Belfast Festival, SARC – Reino Unido;
  •    Classical:NEXT 2016, De Doelen, Rotterdam, Holanda;
  •    Concertgebouw Amsterdam – Holanda;
  •    Vancouver Jazz Festival, Canada;
  •    Oslo Brasil Music Festival, Noruega;
  •    Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Brasil;
  •    Teatro IFT, Buenos Aires, Argentina;
  •    Teatro Nescafe de las Artes, Chile;
  •    Codarts, Rotterdam – Holanda;
  •    Gävle Konserthus, Gävle, Suécia;
  •    Vasteras Konserthus, Vasteras, Suécia;
  •    Stora Theatern, Göteborg, Suécia;
  •    Gerlersborgsskolan, Hamburgsund, Suécia;
  •    Olsbergs Arena, Eksjö, Suécia.

“Você precisa assistir e escutar o PianOrquestra, então irá acreditar.”

Calgary Jazz Festival • Canada

“O PianOrquestra é a grande surpresa do Festival. Música Brasileira executada de uma forma inteiramente nova. A virtuosidade e o som singular do grupo o torna um espetáculo imprescindível de se assistir.”

Festival International de Piano La Roque D'Anthéron • France

“O PianOrquestra é um grupo espetacular que está fazendo de seu show, algo entre as artes performáticas e um concerto com correntes, linhas de pesca, chinelos e martelos do piano. (…) Tudo é filmado e projetado para que a platéia possa ver o que eles fazem durante o show.”

Gefle Dagblad • Sweden

“O conjunto sabe como criar efeitos sonoros sensacionais e dá uma virada na história do piano. O erudito encontra o carnaval em uma verdadeira explosão.”

Concertegebouw • Amsterdam

O grupo apresenta um repertório que inclui desde compositores como Tom Jobim, Bezerra da Silva, Milton Nascimento e Toninho Horta, até composições próprias em ritmos regionais brasileiros.

O trabalho do PianOrquestra é resultado de uma intensa pesquisa dos ritmos brasileiros que percorre desde as origens do coco com base na Dona Selma do Coco, passando pelo maracatu de baque virado da Nação do Leão Coroado, as cirandas e os cirandeiros do Rio Grande do Norte, os carreteiros da Escola de Samba da Mangueira, o repente, entre outros ritmos do Brasil.

Claudio Dauelsberg
Claudio DauelsbergDiretor Artístico

Mestre em Piano Performance pela UFRJ, com especialização em Arranjo, Composição, Novas Linguagens Tecnológicas Aplicadas à Música pela Berklee College of Music, e Doutor em Música pela UNIRIO, onde é professor. Claudio Dauelsberg é constantemente requisitado como pianista, arranjador, compositor e curador.Claudio possui 6 CDs (o CD Bach, gravado com a Orquestra de Câmara de Moscou foi premiado pela Nord Deutsche Rundfunk e o “Além das Imagens” Indicado ao premio Sharp) e um DVD gravados, tendo se apresentado ao lado de Plácido Domingo, Bob Mintzer, Bireli Lagrene, Toots Thielemans, Chick Corea, Márcio Montarroyos, Hermeto Pascoal, Nico Assumpção, Arthur Maia, Carlos Bala, Marcos Suzano, Jacques Morelembaum, Toninho Horta, entre tantos outros músicos da MPB.Desde 1998 atua intensamente como Curador de projetos na área da música, tendo idealizado eventos que abrangem desde a criação de Festivais de Inverno em cidades do interior do estado do Rio de Janeiro, levando a estas cidades grandes nomes da música brasileira além de apoiar artistas locais, projetos inovadores na área da música instrumental contemporânea, no cenário nacional e internacional.

Marina Spoladore
Marina Spoladore

Desde 2002, reside no Rio de Janeiro, onde concluiu o bacharelado em Música na UFRJ sob orientação do professor Luiz Senise. Atualmente, cursa o Mestrado em Musicologia na UNIRIO, sob orientação do professor Dr. Carlos Alberto Figueiredo.
Freqüentemente participa de festivais de música, cursos e master classes no Brasil e no exterior, onde tem contato com professores como Arnaldo Cohen, Eduardo Hubert, Menahem Pressler e Natalia Troull.
No início de 2005, estudou durante três meses em Karlsruhe, Alemanha, sob a orientação da professora Dr. h.c. Fany Solter, através de uma bolsa de estudos obtida através do Grande Conem 2006 recebeu incentivo do governo alemão para dar continuidade ao seu aperfeiçoamento na mesma instituição.
Marina tem sido freqüentemente convidada para se apresentar à frente de importantes orquestras no Brasil, como a Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem, Orquestra Sinfônica da USP, Sinfônica da Escola de Música da UFRJ e Orquestra Sinfônica de Americana, e teve nesses concertos a oportunidade de trabalhar com importantes regentes, como Bernardo Bessler, Carlos Lima, Ernani Aguiar, Guilherme Bernstein, Ligia Amadio e Ronaldo Bologna.
A pianista ainda desenvolve trabalhos camerísticos ao lado de grandes instrumentistas e músicos de renome internacional, como o Abstrai Ensemble, o Trio Paineiras, o Duo Croma, o violinista Daniel Guedes e a cantora Veruschka Mainhard.
Marina também integra A Banda Mágica, que apresenta músicas autorais para crianças de todas as idades.

Priscilla Azevedo
Priscilla Azevedo

É frequentemente requisitada como pianista e acordeonista junto a orquestras como: Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro, Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, Orquestra Sinfônica CESGRANRIO. Em 2016 fez parte da Jazz international Master Class of Accordion Modern Jazz, com Victor Prieto, em Ourense – Espanha. Participou de diversos Festivais Internacionais e Musicais como acordeonista, pianista corepetidora e integrante das orquestras, como: Festival Internacional de Campos do Jordão, Festival internacional da música colonial brasileira e música antiga, Festival internacional de coros da América Latina. Frequentemente requisitada para fazer direção musical e arranjos para cantores como Allyson Castro, Lúcia Helena Weiss, Renata Celidonio, dentre outros.
No cinema gravou a trilha de “Gaby Estrella, o filme” e “Os Saltimbancos trapalhões: Rumo a Hollywood”. Participou como pianista e acordeonista da gravação de discos pelos selos Biscoito Fino e GEMA, Alemanha.

Veronica Fernandes
Veronica Fernandes

Foi integrante da Orquestra de Jazz do CMP durante dois anos, tendo feito atuações em espaços emblemáticos como o Palácio da Bolsa do Porto e o Centro Cultural de Belém (Lisboa).
Em 2012, o seu gosto e curiosidade pelos ritmos e manifestações populares brasileiras a trouxe até ao Rio de Janeiro, onde reside desde então. Aqui pôde aprofundar a sua paixão pelo choro, samba e MPB, e ir além deste cenário musical carioca, mantendo seu interesse também nos ritmos e danças de Frevo, Maracatú e capoeira.
No Rio de Janeiro atua no campo do piano erudito e popular, tendo se apresentado como solista na Sala Villa -Lobos e Casa do Choro; como correpetidora integrou, ao longo de um ano, a oficina de ópera na UNIRIO, sob a orientação de Carol McDavit; em teatro musical atuou no espetáculo “Nós sempre teremos Paris”; como tecladista, participou nos blocos de carnaval Batuque das Meninas e Thriller Elétrico.
Atualmente cursa o bacharelado em piano na UNIRIO sob orientação de Erika Ribeiro, tendo sido aluna de Maria Teresa Madeira durante 3 anos.

MAKO
MAKO

Em seu país de origem cantava Bossa Nova, Jazz e Fado, mas acabou se apaixonando mesmo pelo Samba – ritmo que conheceu através de Clara Nunes – e a partir de então criou o grupo “Teleco-Teco”, com quem se apresentou cantando sambas em Kobe, Osaka e Kyoto até sua vinda para o Brasil. Desde então vem levantando um repertório com obras de alguns dos mais consagrados compositores brasileiros, como Cartola, Wilson Batista, Ataulfo Alves, Noel Rosa, Chico Buarque e Zé Keti, entre outros, em um trabalho de pesquisa apurado. Depois de alguns anos no Brasil, decidiu por cantar músicas brasileiras com jeito carioca. O resultado surpreende o público pelo fato de uma japonesa dedicar-se a cantar sambas imortalizados nos antigos redutos da malandragem carioca com originalidade. MAKO se apresenta como cantora e percussionista nas principais capitais do Brasil, Japão e em vários países, sempre difundindo a música brasileira.
A trajetória musical de MAKO foi registrada em documentários para Cinema no Brasil e TV no Brasil e no Japão.

MÚSICOS CONVIDADOS

Amanda Kohn
Amanda Kohn

Atualmente cursando o bacharelado em piano na UFRJ, aprimorou sua técnica com o professor Ronal Silveira e hoje se encontra sob a orientação do professor Luís Senise, um dos mais renomados do país.

Ao longo de quase 10 anos como musicista, mantém uma vida ativa com diversos prêmios em concursos, recitais, participação em grandes festivais de música assim como masterclasses onde teve aulas com grandes nomes do cenário artístico como Luca Chiantore, Nikolai Lugansky, Alexandre Dossim, Tim Ovens, Michael Uhde e Roberto Domingos e Vivian Hornik Weilerstein. Amanda também participa de projetos profissionais como o “projeto Noturnos”, envolvendo palestras sobre Chopin e sua obra em diversas universidades, assim como o curso Pianostudio no Leblon, onde atualmente é professora.

Nathalia Martins
Nathalia Martins

Teve experiência internacional com semestre universitário de intercâmbio na Universidade Norte-americana ECU, East Carolina University (NC), através do projeto Music Alive em 2010. Como pianista já se apresentou no Rio e fora do país, em formações solo, orquestra, grupos de música popular e musicais. Nathália vem se aperfeiçoando ao longo do tempo e atualmente também leciona em escolas de música e escolas regulares dando aulas de teoria e piano. Foi orientada por pianistas, tais como: Ronal Silveira, Rafael Vernet, Luiz Senise, Helena Marinho, Fany Solter, Lúcia Barrenechea, Érica Ribeiro, Luiz Carlos de Moura Castro, Michael Uhde, Keiko Sekino, Ryan Hanseler, Carrol Dashiel, Cláudio Daulsberg.

Veronica Bonfim
Veronica Bonfim

Cantora, compositora, escritora e atriz, vem acumulando trabalhos  na TV, cinema, teatro, literatura e música. Já trabalhou com diretores consagrados: Spike Lee, Aderbal Freire Filho, Amir Haddad, Cláudio Segóvia, Oswaldo Montenegro, Jaime Álem, Jaques Morelenbaum, Tim Rescala e Ciro Barcelos.

Atualmente integra o elenco de Elza, o musical, dirigido por Duda Maia e direção musical de Pedro Luís, está na TV na segunda temporada da série “De Sonhos e Segredos” no Canal Brasil e em breve ao lado do humorista Paulo Gustavo e grande elenco na série “Além da Ilha”, no Canal Multishow e no longa Sick, Sick, Sick, de Alice Furtado e é percussionista de apoio no renomado grupo Pianorquestra.
Fez várias campanhas publicitárias e acaba de  ser indicada a melhor atriz no Festival de Cenas Curtas do Ziembinski, pela sua atuação na performance autoral Fragmentos de um Descompasso; Em 2016 publicou seu primeiro livro infantil “A menina Akili e seu tambor falante”, pela Editora Nandyala e circula com suas Oficinas Brincantes afroeducativas. Em 2007 lançou seu primeiro CD Olhos d’África (independente), excursionando pelo exterior com este trabalho entre 2010 e 2015; Integra o Grupo Ayó de contadores negros de história, no Rio de Janeiro; Tem um blog de poesias e o espaço Minuto Sustentabilidade no seu Canal do YouTube; Integrou o elenco de grandes musicais: Orfeu dirigido por Aderbal Freire Filho, com direção musical de Jaques Morelenbaum e Jaime Álem (2011); Brasil Brasileiro Tour Europa, dirigido pelo argentino Cláudio Segóvia (2014); Tropicalistas com direção de Tim Rescala e Ciro Barcelos (2016); Filhos do Brasil, com direção de Oswaldo Montenegro (2011). Acaba de lançar um EP com canções deste artista, intitulado “Trilhas de um Menestrel”, em homenagem aos 10 anos de amizade e parceria.

MEMBROS ANTERIORES

Gisele Sant’Ana
Gisele Sant’Ana
Maíra Freitas
Maíra Freitas
Késia Decote
Késia Decote
Jadna Zimmermann
Jadna Zimmermann
Claudia Castelo Branco
Claudia Castelo Branco
Anne Amberget
Anne Amberget